A LEITURA LITERÁRIA EM SALA DE AULA E O SUJEITO LEITOR: DIMENSÕES TEÓRICAS E PRÁTICAS

SIMPÓSIO - ST4

COORDENADORES

Andresa Fabiana Batista Guimarães (IFSULDEMINAS)
Gabriela Rodella de Oliveira (UFSB)

RESUMO

Desde o final da década de 1960 e início da de 1970, a Reader-Response Theory e as teorias da recepção da Escola de Constança evidenciam o papel essencial do leitor na construção dos sentidos de um texto. Para Iser (1996, p. 197), o “texto só existe pelo ato de constituição de uma consciência que o recebe”. Stanley Fish, define a noção de “comunidade interpretativa” como uma entidade pública e coletiva, formada por todos aqueles que compartilham das mesmas estratégias de interpretação e, partindo do princípio de que “a habilidade de interpretar não é adquirida: ela é constitutiva do ser humano”, afirma: “o que é adquirido são os modos de interpretação e esses modos podem ser esquecidos, suplantados, complicados ou dispensados” (FISH, 1980, p. 172, tradução nossa). Jauss (1979) entende o leitor como o elemento que garante a historicidade das obras literárias, e defende que uma obra só se converte em acontecimento literário a partir da relação dialógica resultante da interação entre o leitor, suas experiências anteriores e a própria obra. No estabelecimento dessa relação, o saber prévio, ou “horizonte de expectativas” do leitor sobre a obra, será determinante em sua recepção. Para o crítico, a obra suscita expectativas, desperta lembranças, “conduz o leitor a determinada postura emocional e, com tudo isso, antecipa um horizonte geral da compreensão” (JAUSS, 1994, p. 28). Nesse sentido, a historicidade coincide com a atualização da obra literária, e a recepção apresenta-se como um fator social e histórico, pois reações individuais são parte de uma leitura mais ampla de um grupo no qual o sujeito está inserido, o que pode tornar a sua leitura semelhante à de outros homens que vivem sua época. Na atual corrente francesa acerca da didática da literatura, Annie Rouxel (2013) afirma que ao se pensar o ensino de literatura é fundamental livrar-se dos demônios do formalismo e considerar a dimensão subjetiva e as realizações efetivas dos sujeitos leitores (alunos, estudantes, professores). “A implicação do sujeito dá sentido à prática da leitura, pois ela é, ao mesmo tempo, o signo de apropriação do texto pelo leitor e a condição necessária de um diálogo com o outro, graças à diversidade das recepções de uma mesma obra” (p. 23). Dessa forma, delineia-se uma nova perspectiva didática para o ensino de literatura, que se contrapõe à tradição escolar de um trabalho com literatura baseado na leitura analítica (de interpretação de texto com base na análise do professor e/ou dos críticos literários, ou mesmo nas respostas dos livros didáticos) e propõe uma outra perspectiva, a da leitura cursiva (leituras pessoais, autônomas e livres de coerção avaliativa), descrita como “a forma livre, direta e corrente” da leitura. Para a pesquisadora francesa, a prática da leitura literária abarca a da leitura cursiva, torna evidente a importância de se garantir um tempo em sala de aula para a leitura integral das obras, e não se reduz a uma atividade cognitiva, pois o processo de elaboração semântica enraíza-se na experiência do sujeito. Como pontua Rouxel (2012, p. 272-283): O investimento subjetivo do leitor é uma necessidade funcional da leitura literária; é o leitor quem completa o texto e lhe imprime sua forma singular de pensar e sentir. Não se trata, portanto, de renunciar ao estudo da obra em sua dimensão formal e objetiva, mas de acolher os sentimentos dos alunos, incentivando seu envolvimento pessoal com a leitura. Desta maneira, pode-se dizer que a prática da leitura literária possibilita a identificação e convida o leitor a uma apropriação singular das obras, favorecendo assim a construção de uma outra relação com o texto, sendo possível levar em consideração os desejos e interpretações de leitores reais Nesse sentido, no simpósio “A leitura literária, a dimensão subjetiva e o sujeito leitor: dimensões teóricas e práticas” propomos dar sequência à discussão sobre o que seria uma didática para a leitura literária, os desafios que se delineiam para as práticas da leitura de literatura em sala de aula, buscando compartilhar pesquisas acadêmicas, experiências e vivências em sala de aula que estejam voltadas a estas novas perspectivas. No ano passado (Abralic de 2020), este caracterizou-se como um espaço de diálogo com os professores para se pensar as mudanças de foco no ensino da literatura. Em virtude da necessidade e da importância de se manter viva a interação com professores e professoras, almejamos novamente promover um espaço reflexivo levando em consideração estas novas perspectivas. Vale ressaltar que o nosso propósito também é refletir sobre a presença na sala de aula de textos da tradição, de obras importantes da literatura canônica, e das literaturas contemporâneas, bem como das diversas manifestações culturais (como rap, batalhas de rimas e os slams), que fazem o trabalho com a literatura.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FISH, Stanley. Interpreting the variorum. In: ______. Is there a text in this class? Massachusetts: Harvard, 1980. ISER, Wolfgang. O ato de leitura: uma teoria do efeito estético. Trad. Johannes Kretschmer. São Paulo: Ed. 34, 1996, v. 1 e 2. JAUSS, Hans Robert, et. al. A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. Trad. e coord. Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. ______. A história da literatura como provocação à teoria literária. Trad. Sérgio Tellaroli. São Paulo: Ática, 1994. ROUXEL, Annie; LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia. (org.) Leitura subjetiva e ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013. ROUXEL, Annie. Práticas de leitura: quais rumos para favorecer a expressão do sujeito leitor? In: Cadernos de Pesquisa, v. 42, nº 145, p.272-283, jan./abr. 2012.

PALAVRAS-CHAVE

Ensino de Literatura; Leitura Literária; Sujeito Leitor.

PROGRAMAÇÃO

S01 20/09 19h-22h - https://youtu.be/G1yV918YfHI

S02 21/09 19h-22h - https://youtu.be/5hOpK8ifDBI

S03 22/09 19h-22h - https://youtu.be/tIb4zgIX3Gk

S04 23/09 19h-22h - https://youtu.be/KpzkzVJylEY

S05 24/09 19h-22h - https://youtu.be/7nJbM5yQGF0