LITERATURA E ENSINO: TAL BRASIL, QUAL ENSINO DE LITERATURA/EDUCAÇÃO LITERÁRIA?

SIMPÓSIO - ST44

COORDENADORES

Wellington Furtado Ramos (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul)
ANA CRELIA PENHA DIAS (Universidade Federal do Rio de Janeiro)
Rosana Cristina Zanelatto Santos (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul)

RESUMO

Nas últimas décadas, impulsionados substancialmente pela reflexão sobre as literaturas infantil e juvenil, os estudos sobre ensino de literatura se expandiram e se diversificaram, por meio de produções científicas que refletem, sobretudo, sobre o contexto formal de seu ensino na Educação Básica, mas também no Ensino Superior e em contextos extraescolares. Inúmeras têm sido as publicações sobre o tema em periódicos e livros, bem como a organização de pesquisadores em projetos, grupos e linhas de pesquisa que se fazem notar nos eventos da área, por meio de simpósios e correlatos. É neste contexto que se insere a proposta do Simpósio "LITERATURA E ENSINO: Tal Brasil, qual ensino de literatura/educação literária?", promovido pelo Grupo de Trabalho "Literatura e Ensino" da ANPOLL (Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em letras e Linguística), que busca congregar pesquisadores, professores da Educação Básica, professores universitários e acadêmicos de pós-graduação das mais variadas origens, perfis e alinhamentos teóricos a fim de refletir sobre as práticas de leitura literária e sua conversão (ou não) em políticas de leitura literária em diferentes eixos e contextos, escolares ou não. O primeiro eixo visa discutir o binômio “ensino de literatura” e “educação literária”, buscando congregar trabalhos que residam na tensão dialética entre as noções de “educação” e de “ensino” e suas implicações para o campo, tanto do ponto de vista teórico quanto de seu impacto nas práxis. O segundo eixo agrupará trabalhos que se dediquem à revisão (crítica) dos postulados teóricos sobre o ensino de literatura em contexto escolar e suas diversas implicações, tais como: abordagens metodológicas, questões de historiografia e cânone literário, representações de grupos, sujeitos e temas, seleção de textos e autores, tradições vernáculas e estrangeiras e cultura “de massa” e cultura popular. Por fim, o terceiro eixo abrangerá trabalhos que busquem depreender das experiências reflexões aprofundadas sobre o sentido da leitura literária na contemporaneidade, seu papel no cotidiano, sua inserção no ambiente escolar e não-escolar, bem como o mapeamento de diretrizes e estratégias bem-sucedidas (ou não) para a fixação ou diversidade de modelos de ensino e de educação literária. Desta feita, o Simpósio visa a reunir vozes dissonantes sobre o tema “Literatura e Ensino”, colocando em tensão as proposições mais diversas, não com vistas a um discurso totalizante, mas com o anseio de, na diversidade, reunir uma amostra do pensamento e da produção contemporâneas sobre a questão, objetivando fomentar o debate e subsidiar a atuação pedagógica e política do GT Literatura e Ensino. No Simpósio deste ano, buscam-se problematizar como questões de fundo para a promoção do debate os seguintes aspectos ao relacioná-los ao ensino de literatura, no escopo de sua escolarização, e à educação literária: i) a “obsessão” do sistema literário nacional institucionalizado em representar uma ideia de nação unificada para o Brasil, noção essa importada do Romantismo europeu e reverberante na história literária nacional; ii) a atualidade/o vigor/a vigência do que foi observado por Flora Süssekind (1984) em sua obra ao qual o título deste Simpósio faz direta analogia, que observou na tradição literária romanesca brasileira até o Séc. XX uma forte tendência realista-naturalista; iii) a manutenção de uma tensão entre uma ideia de identidade nacional brasileira e a emergência de vozes historicamente minorizadas, a das mulheres, a dos negros, a dos povos originários indígenas, a dos homossexuais, lésbicas e pessoas trans, dentre outras. Em outras palavras, o Simpósio visa discutir criticamente os valores diacronicamente dispostos na história literária brasileira que são veiculados, desestabilizados ou atualizados no horizonte do ensino de literatura, em termos da sua escolarização, por um lado, e, de modo mais abrangente, na educação literária, por outro. As discussões perpassarão a hipótese/polêmica sobre a constituição/construção de uma identidade nacional hegemônica que é importada de valores românticos europeus, mas que parece não se sustentar na dinâmica cultural plurivocal brasileira, ocasionando uma constante convulsão de valores na criação artística/literária que impactam diretamente (n)a ideia de literatura que se (visa a) ensina(r)/educar. Assim, cabe ressaltar que os trabalhos submetidos a este Simpósio devem, explicitamente, se alocar em um dos três eixos acima mencionados, mas não precisam necessariamente se voltar para/focar essa discussão proposta como “pano de fundo”, ou com ela concordar; incentiva-se, no entanto, que, na medida do possível, busquem articular essa polêmica ao debate que promove(re)m.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SÜSSEKIND, Flora. Tal Brasil, Qual romance? Uma ideologia estética e sua história: o naturalismo. Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.

PALAVRAS-CHAVE

Literatura e Ensino; Educação Literária; Literatura Brasileira; Formação de Leitores; Leitura Literária.

PROGRAMAÇÃO

S01 23/09 14h-18h - https://youtu.be/-DBplGUxwx8

S02 24/09 14h-18h - https://youtu.be/YsNVnt_Pohw

S03 27/09 14h-18h - https://youtu.be/hugR87s7D48

S04 28/09 14h-18h - https://youtu.be/T3drB-w5Nhg

S05 29/09 14h-18h - https://youtu.be/G1GVWZfN2aY