LETRAS, SONS, RITMOS E SENTIDOS: DIÁLOGOS TRANSDISCIPLINARES ENTRE LITERATURA E MÚSICA

SIMPÓSIO - ST37

COORDENADORES

Rafael Eisinger Guimarães (Universidade de Santa Cruz do Sul)
Gérson Werlang (Universidade Federal de Santa Maria)
Roniere Silva Menezes (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais)

RESUMO

As reflexões que colocam em diálogo a literatura e a música têm conquistado bom espaço na pesquisa acadêmica contemporânea. Tal constatação pode ser feita ao observamos o intenso e estimulante debate acerca das aproximações e dos distanciamentos existentes entre essas duas manifestações, seja a partir de musicalização de poemas, de referências musicais em textos narrativos, dramáticos e poéticos, seja na menção, mais ou menos explícita, de obras literárias nas letras de canções ou peças eruditas. Podemos também pensar no exemplo da citação e recriação de versos, quadras e cantigas do campo oral, popular folclórico, no âmbito da música popular urbana, erudita e mesmo no espaço da escrita literária. Isso sem contar nos diversos diálogos existentes entre literatura, música, cinema e teledramaturgia. Ultimamente têm surgido trabalhos inovadores aproximando texto literário, leitura, criações rítmico-sonoras do universo popular oral e tecnologias digitais. As produções que aproximam a linguagem literária e a musical fazem parte de uma rede em contínuo movimento e expansão. Nesse sentido, se é fato inegável que a literatura, ao menos no contexto ocidental, teve sua origem marcada por um vínculo muito forte com a música (pensamos aqui, em especial, na poesia lírica da Grécia antiga), não há como ignorar que, ao longo dos séculos, essas duas linguagens – a escrita e a sonora – distanciaram-se bastante uma da outra, muito embora, não raras vezes, o ancestral vínculo que as une insista em deixar-se entrever. Tendo em mente as questões teóricas propostas recentemente pelos mais distintos nomes, sobretudo na esfera do comparatismo, debruçar-se sobre as similaridades e contrastes existentes entre produções literárias e musicais revela-se um exercício interpretativo que resulta em iluminação mútua. Na esteira dessas observações, este simpósio se propõe a ampliar o debate iniciado com as apresentações que tiveram lugar no ST “Dissonâncias e consonâncias entre literatura e música: temas, personagens, espaços e linguagens em diálogo transdisciplinar”, ocorrido no Congresso Internacional ABRALIC 2020. Tomando como base para as nossas reflexões a ideia de literatura em campo expandido (KIFFER e GARRAMUÑO, 2014), a concepção de literatura pós-autônoma (LUDMER, 2007) e imaginação pública contemporânea (PEDROSA et all, 2018), dentre outras produções que problematizam as concepções de especificidade e essência das manifestações artísticas e culturais, parece ser mesmo possível, em alguns casos, propor um questionamento dos limites que separam a literatura e a música. As investigações sobre esses diálogos interartes podem tanto sugerir o apagamento de fronteiras entre o literário, o musical e o cancional como possibilitar, de forma complementar, reflexões sobre em que medida, e sob que aspectos, a linguagem literária contribui para a elaboração do objeto musical e vice-versa. Salientamos que, em se tratando de estudos sobre transdisciplinaridade, guiamo-nos por pensadores que questionam a noção de hierarquia de saberes como Edgar Morin (2006); quanto a debates contemporâneos em torno da literatura comparada, trabalhamos com autores como Ottmar Ette (2018). Com vistas a contribuir para a problematização proposta e para o olhar em direção às relações entre as linguagens literária e musical, mostram-se bastante relevantes as contribuições de José Miguel Wisnik (2004), Luiz Tatit (2002), Murray Schaffer (2011), Paul Zumthor (1993), Ruth Finnegan (2008) e Solange Ribeiro de Oliveira (2002), dentre outros nomes que têm contribuído para uma compreensão dos elementos estéticos que envolvam a materialidade sonora e linguística. Diante desses aspectos, este simpósio receberá trabalhos que busquem, a partir de uma perspectiva comparatista e transdisciplinar, analisar trânsitos existentes entre literatura e música, por meio de relações intertextuais, temáticas e técnicas, por exemplo a partir da análise de canções, de investigação acerca da presença de elementos musicais na construção de obras poéticas, narrativas, dramáticas e ainda a por meio da utilização de traços literários na concepção musical, entre outras possibilidades. Deve-se ressaltar que temas, perspectivas e estruturas literárias possibilitaram o surgimento de ricas criações em diversos campos artísticos. Como descrito, o simpósio tem como objetivo acolher distintas colaborações para o debate sobre os diálogos transdisciplinares existentes entre literatura e música. Nesse sentido, estamos abertos a propostas que tragam reflexões sobre arte, cultura, literatura e música no âmbito popular tradicional, o popular urbano, massivo e erudito, e sobre o intercâmbio entre esses gêneros e lugares discursivos. Textos que se propõem a discutir, em termos teórico-conceituais - ao menos em parte do trabalho - a própria questão transdisciplinar e comparatista relativa ao trânsito literário e sonoro são também bem vindos ao simpósio.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ETTE, Ottmar. Escrever entre mundos: literaturas sem morada fixa.Curitiba, PR: Ed. UFPR, 2018. FINNEGAN, Ruth. O que vem primeiro: o texto, a música ou a performance? In: TRAVASSOS, Elizabeth; MATOS, Cláudia Neiva; MEDEIROS, Fernanda Teixeira de. Palavra Cantada: ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008. KIFFER, Ana e GARRAMUÑO, Florencia (Orgs.). Expansões contemporâneas: literatura e outras formas. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2014. LUDMER, Josefina, 2007. Literaturas postautónomas 2. Revista Z cultural. Ano IV. Vol.I Disponível online: http://revistazcultural.pacc.ufrj.br/literaturas-postautonomas-2-0-dejosefina-ludmer/. MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 11. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2006. OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Literatura e música. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2002. PEDROSA, Celia, KLINGER, Diana, WOLFF, Jorge, CÁMARA, Mario (Orgs.). Indicionário do contemporâneo. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2018. SHAFFER, Murray. O ouvido pensante. 2a. ed. São Paulo: Ed. UNESP, 2011. TATIT, Luiz. O cancionista: composição de canções no Brasil. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2002. WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra história das músicas. 3a. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2017. WISNIK, José Miguel. Sem receita: ensaios e canções. São Paulo: Publifolha, 2004. ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz: a “literatura” medieval. Tradução de Amálio Pinheiro, Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

PALAVRAS-CHAVE

literatura; música; canção; transdisciplinaridade; crítica comparada.

PROGRAMAÇÃO

S01 20/09 14h-18h - https://youtu.be/VbW6c3H7xpk

S02 21/09 14h-18h - https://youtu.be/8xf6aIcPygs

S03 22/09 15h-19h - https://youtu.be/_yUOOAwCBJk

S04 23/09 14h-18h - https://youtu.be/rUQRGxcyPjA

S05 24/09 14h-19h - https://youtu.be/ZbcnHyhtuOc

S06 25/09 09h-13h - https://youtu.be/Hj2Jx161v_s