ESTUDOS RETÓRICOS E POÉTICOS

SIMPÓSIO - ST28

COORDENADORES

Jean Pierre Chauvin (USP)
Marcelo Lachat (UNIFESP)
Marcus De Martini (UFSM)

RESUMO

Os estudos retóricos e poéticos vêm recebendo uma atenção renovada nos últimos anos, na academia, seja na esteira de trabalhos que procuraram resgatar a importância da disciplina de Retórica – como os de John Bender e David E. Wellbery (The Ends of Rhetoric), Olivier Reboul (Introduction à la Rhétorique), George A. Kennedy (Classical Rhetoric and Its Christian and Secular Traditions) e Brian Vickers (In Defence of Rethoric) – seja, principalmente, na relação dessa com a crítica literária, na tentativa de retomar uma relação íntima com as poéticas anteriores à Modernidade. Se a crítica humanista e estilística de meados do século XX já alertava para a importância de uma reconstrução histórica das formas de escritura, como já se notava em Erich Auerbach, em seu clássico Mimesis, ou ainda no monumental Literatura Europeia e Idade Média Latina, de Ernest Robert Curtius, seria necessário ainda um pouco mais de tempo para que, no Brasil, houvesse um redirecionamento dos estudos literários nesse sentido. Sinais do interesse global que tem azeitado a produção da pesquisa científica em tais domínios ocorrem com a maturidade manifesta dos altos estudos acerca da obra de escritores emblemáticos das letras luso-brasileiras, como o padre Antonio Vieira e o poeta Gregório de Matos. Assim, trabalhos como os de João Adolfo Hansen (A Sátira e o Engenho) e Alcir Pécora (Teatro do Sacramento) são fundamentais para os estudos poéticos e retóricos no Brasil. Também é notório o desenvolvimento da pesquisa sobre a obra teológica de Vieira, na condição de réu do Tribunal do Santo Ofício, realizada pela profa. Adma Muhana, grandeza na qual se inclui a edição dos “Autos do processo” de acusação a que o padre foi submetido durante décadas do século XVII, pela Inquisição de Portugal, e a publicação de textos proféticos do autor luso-brasileiro). Desse modo, esses trabalhos, dentre outros, foram emblemáticos para o resgate dessas formas de representação, já que apontam para a necessidade de reconstruir "arqueologicamente", nos dizeres de Hansen, textos anteriores ao final do século XVIII, que, não raro, eram lidos pela crítica sob viés anacrônico, ou, pior ainda, considerados de pouca ou nenhuma relevância para o leitor contemporâneo. Essa renovação tende a romper um círculo vicioso de desinteresse e desconhecimento das letras escritas antes que vigorasse a concepção dita “moderna” nas artes, pontualmente antes de meados do século XVIII, quando, como se sabe, todo a forma mentis e a escrita foram profundamente alteradas e mesmo rompidas. Observam-se, neste sentido, incentivos no mundo editorial, traduzido na publicação de numerosas obras jamais editadas, colocadas presentemente no circuito comercial de venda de livros, bem como estímulos no âmbito da pesquisa acadêmica, em alguns (poucos) nichos dos estudos clássicos e classicistas, para se recorrer a dois termos generalizantes, presentes na história literária. Isto posto, a tendência é que os estudos sobre as práticas retóricas e os fazeres de poéticas reconquistem algum espaço nos currículos escolares, no debate científico, no mercado livreiro, nas instituições globais de produção e disseminação dos saberes, como bibliotecas, institutos, academias e universidades - domínios de que vêm sendo predominantemente alijados por razões várias, cuja compreensão, debate e rejeição fazem parte do interesse deste Simpósio da Abralic, dentre outros mecanismos de ação reflexiva. Assim, este Simpósio de "Estudos Retóricos e Poéticos" pretende discutir trabalhos nos campos da poética e da retórica, especialmente voltados para corpora das letras antigas e modernas (até o final do século XVIII), tendo como objetivos principais: elaborar um panorama das atividades de pesquisa realizadas no Brasil sobre preceptivas e produções retóricas e poéticas; estabelecer redes associativas de conhecimento e divulgação dessas pesquisas e de seus objetos; definir mecanismos institucionais para a troca de informações; agregar pesquisadores de temáticas afins com objetivo de divulgação de resultados de trabalhos; vitalizar a produção acadêmica brasileira nos domínios dos estudos retóricos e poéticos. Para tanto, propõem-se os seguintes eixos temáticos em que podem se inserir as propostas de comunicação: - Retórica e poética nas letras clássicas ou antigas; - Retórica e poética nas letras modernas; - Manuscritura, história do livro e da cultura letrada; - Relações entre as letras e o discurso da história; - Retórica e poética e as disciplinas humanísticas; - Retórica, poética e filosofia; - Recepção de tratados de retórica e poética; - Retóricas e poéticas medievais; - Retórica e poética nas letras portuguesas e luso-brasileiras dos séculos XVI, XVII e XVIII. - Presença dos preceitos de Retórica e Poética nos séculos XIX e XX. Espera-se que os trabalhos deste Simpósio mostrem antes ruínas letradas do que construções atemporais anacronicamente idealizadas, recorrendo-se àquilo que enforma essas práticas letradas em seus próprios tempos, em especial, às technai retórica e poética e às matérias elaboradas tecnicamente, para que se compreendam melhor as especificidades de tempos que não são os da “modernidade literária”.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AUERBARCH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. 4ª ed. Vários Tradutores. São Paulo: Perspectiva, 1998. BENDER, Johh; WELLBERY, David E. The Ends of Rhetoric: History, Theory, Practice. Stanford: Stanford University Press, 1990. CURTIUS, Ernst Robert. Literatura Europeia e Idade Média Latina. Trad. Paulo Rónai; Teodoro Cabral. São Paulo: Edusp; Hucitec, 1996. KENNEDY, George A. Classical Rhetoric and Its Christian and Secular Traditions. 2a ed. North Carolina: University of North Carolina Press, 1999. HANSEN, João Adolfo. A Sátira e o Engenho: Gregório de Matos e a Bahia do Século XVII. 2ª ed. Cotia: Ateliê; Campinas: Editora da Unicamp, 2004. MUHANA, Adma. Os Autos do Processo de Vieira na Inquisição (1660-1668). 2ª ed. São Paulo: Edusp, 2008. PÉCORA, Alcir. Teatro do Sacramento: a unidade teológico-retórico-política dos sermões de Antônio Vieira. 2ª ed. Campinas: Editora da Unicamp; São Paulo: Edusp, 2008. REBOUL, Olivier. Introdução à Retórica. Trad. Ivone Castilo Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2000. VICKERS, Brian. In Defence of Rethoric. 4a ed. Oxford: Oxford University Press, 2002.

PALAVRAS-CHAVE

Retóricas; Poéticas; Letras luso-brasileiras; Historiografia Literária.

PROGRAMAÇÃO

S01 06/09 09h-12h - https://youtu.be/uLkCgAKEPLQ

S02 06/09 14h-17h - https://youtu.be/weFVCT55Y14

S03 08/09 09h-12h - https://youtu.be/vpUNwMz_fvw

S04 08/09 14h-17h - https://youtu.be/JoP5J1flsVs

S05 13/09 09h-12h - https://youtu.be/zzeN6ETvdg0

S06 13/09 14h-17h - https://youtu.be/Ksl2L0f7avg