LITERATURA PORTUGUESA: PERSPECTIVAS ESTÉTICO-CULTURAIS CONTEMPORÂNEAS

SIMPÓSIO - ST52

COORDENADORES

Gabriela Silva (Universidade Federal de Lavras, UFLA, MG)
Ilse Maria da Rosa Vivian (Universidade Federal de Santa Maria- UFSM)
Tainara Quintana da Cunha (Universidade Federal do Rio Grande- FURG)

RESUMO

O simpósio Literatura portuguesa: perspectivas estético-culturais contemporâneas contempla a literatura portuguesa a partir da diversidade de vozes que emergem no Portugal contemporâneo, considerando, conforme afirma Eduardo Lourenço (2001, p.16), que “a contemporaneidade de Portugal, em particular na sua expressão cultural, a sua atualidade ou as raízes dela começaram precisamente com a Revolução de Abril”. Com a alteração do antigo contexto, que dilacerava-se em opções ideológicas conflitivas mas interligadas pelo primado ideológico, a paisagem cultural portuguesa modificou-se. Após um movimento de expressiva produção literária que, rejeitando o passado, ambicionou as representações afastadas de qualquer temporalidade, “uma geração nem obcecada, nem afetada, mesmo a título de melancolia, pelo sentido da história e que vai refazer, por sua conta, como quem joga, todo o passado como se fosse presente” (LOURENÇO, 2001, p.18), o cenário literário português caracteriza-se por estabelecer outros modos de relações com a história. A nova cultura portuguesa, multiforme, desierarquizada, que toma sua configuração nos anos 80, constitui-se, no plano literário, pelas construções que, com proximidade ou distanciamento, questionam a representação dos temas históricos e as questões identitárias, trazendo à pauta a concepção do sujeito português. Nasce uma literatura que busca a revisitação de seus temas, deslocamento que se expressa, para além da permanente reavaliação histórica, a partir das novas vozes erigidas como contraponto e sustenção das representações do passado e seu diálogo com o presente. No pós-colonialismo, considerando que “a perspectiva pós-colonial parte da ideia de que, a partir das margens ou das periferias, as estruturas de poder e de saber são mais visíveis” (SANTOS, 2010, p.26), pensar a literatura portuguesa contemporânea demanda perceber a construção literária como constitutiva, atuante de forma ativa e/ou passiva, dos processos culturais ocorridos desde o último quartel do século XX, cujas geopolíticas engendram a flexibilização das fronteiras epistemológicas e, consequentemente, uma nova consciência, a qual desloca-se e reavalia-se em relação a si mesma e a sua própria cultura. A observação e análise das transformações identitárias torna-se relevante na medida em que se pode, pelo desvelamento de suas figurativizações, discutir e repensar as especificidades de enunciações que confrontam os espaços discursivos de colonizadores e de colonizados, pois, assim como afirma Boaventura de Sousa Santos (2010, p.41), “nas lutas anticoloniais houve solidariedades e cumplicidades importantes entre os que lutavam nas colónias e os que lutavam na ‘metrópole’ e também essas solidariedades e suas evoluções estão por avaliar.” Nesse recorte temporal, as representações têm sido demarcadas e estudadas sob diversos enfoques, evidenciando, ao mesmo tempo, a diversidade, a singularidade e a pluralidade como componentes da construção poética da literatura portuguesa. A literatura atual, por um lado, tem potencializado o real, transgredindo a temporalidade e permitindo analogias, intertextualidades e outras maneiras de integração entre momentos históricos e condições do sujeito nas suas relações com os diferentes contextos contemporâneos; por outro, embora tenha desaparecido o antigo reflexo ressentido da literatura com o seu passado, há uma vasta produção que manifesta, pelas indiferenças com a história e seu diálogo com os problemas culturais do presente, a revitalização de um imaginário de dimensão coletiva. É justamente a dinâmica dessas representações, seus enquadramentos e perspectivas que se objetiva iluminar nos espaços do presente Simpósio, bem como as variadadas formas de contato e diálogos entre as obras. É primordial, portanto, a discussão e a apresentação dessa literatura, considerando as condições multifacetadas de um cenário em que convivem a consciência da utopia cultural em relação às novas ordens mundiais e as necessidades de fixação das especificidades que motivam novos estatutos culturais. A literatura portuguesa contemporânea, sem dúvida, cresce, com os diversos pontos de vista, cujos olhares põem em questão a cristalização de ideários, discutindo a gestão e a vivência cultural que fomentou determinadas hegemonias e que, ainda hoje, incidem sobre a constituição das identidades. Das perspectivas da intertextualidade, do cânone, da experimentação e do comparatismo, esse simpósio recebe propostas de comunicação que visem à discussão e à atualização de temas na literatura produzida em Portugal da segunda metade do século XX ao século XXI. No âmbito de pesquisas concernentes ao universo da ficção contemporânea que compreende deslocamentos de estruturas, memórias, paródias e/ou revisitações de temas já conhecidos, além de estudos sobre poéticas, vertentes, vozes, percepções do sujeito e temáticas voltadas para a compreensão da realidade histórica contemporânea, são também aceitas propostas de comparação com obras de épocas anteriores, bem como trabalhos que incidam sobre as relações estabelecidas entre a obra literária e outros objetos culturais artísticos, como o teatro e o cinema e/ou outras manifestações artísticas que integram e dialogam com a literatura e que compõem o seu campo de conhecimento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. V.4. Porto: Edições Afrontamento, 2010. LOURENÇO, Eduardo. A nau de Ícaro e Imagem e miragem da lusofonia. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

PALAVRAS-CHAVE

: literatura portuguesa; contemporâneo; pós-colonialismo; identidades

PROGRAMAÇÃO

S1 14/09 14h-16h - https://youtu.be/r2L4784Wd3E

S2 14/09 18h-20h - https://youtu.be/r_9NTzNEZtY

S3 15/09 14h-16h - https://youtu.be/XA3M7CtRZaU

S4 15/09 18h-20h - https://youtu.be/Hu9RABovmeo

S5 16/09 14h-16h - https://youtu.be/2w4iErRNGeY

S6 17/09 14h-16h - https://youtu.be/5Au2vhXARrg