Um impulso cruel e vivo: entre a infância e a adolescência em O Lustre, de Clarice Lispector

PÔSTER - XVIII Encontro ABRALIC

Marcella Mahara Costa Torós

ORIENTAÇÃO: Flavia Trocoli Xavier da Silva

RESUMOS: A pesquisa propõe-se a ler como é construída a passagem para a adolescência vivida por Virgínia, protagonista de O Lustre, romance de Clarice Lispector publicado em 1946. Nos capítulos que compreendem a infância de Virgínia com a família, é possível observar que o mal se torna uma questão relevante para a narrativa, e, veremos, para as transformações que a personagem irá viver. Tonta, fraca, simples, são algumas palavras que o narrador usa para descrever a personagem e sua vida. Este trabalho pretende mostrar como Virgínia passa a experimentar mudanças na figuração de sua subjetividade e em seu corpo, especialmente após a criação da Sociedade das Sombras, organização secreta que seu irmão resolve fundar, e através da qual, no comando, dará difíceis tarefas para a personagem cumprir. Tais brincadeiras sombrias são como uma iniciação em ritos obscuros e cruéis que, no entanto, despertam a sexualidade e os desejos de Virgínia, introduzindo-a a um novo modo de estar no mundo, que ela teme, mas pelo qual também se sente atraída, o que será visto especialmente na leitura do sonho da personagem. Para pensarmos essas questões, tem sido fundamental o estudo crítico de Yudith Rosenbaum intitulado Metamorfoses do mal: uma leitura de Clarice Lispector, no qual a crítica empreende uma leitura das modulações do mal e do sadismo na obra da escritora brasileira. Rosenbaum insere Clarice Lispector em um grupo de escritores que “deram voz aos aspectos sombrios dos homens” (ROSENBAUM, 2006, p. 18), e tem como hipótese principal de seu estudo que a emergência do mal, em Clarice, funciona “como força mobilizadora do enredo, potência destruidora das estruturas acomodadas e conservadoras.” (ROSENBAUM, 2006, p. 20). Em O Lustre, o mal aparece sem pudor na transição da infância para a adolescência, funcionando como força mobilizadora que lança a personagem para um confronto com a sua infância, em busca de sair dos limites que esse mundo lhe impõe, em direção ao mundo da adolescência.

PALAVRAS-CHAVE: O Lustre. Clarice Lispector. adolescência. transição.

REFERÊNCIAS: LISPECTOR, Clarice. O Lustre. Rio de Janeiro, Rocco, 2019. ROSENBAUM, Yudith. Metamorfoses do Mal: Uma Leitura de Clarice Lispector. 1. ed. 1. reimpr. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Fapesp, 2006. –