Animismo narrativo em The Story of an African Farm (1883) de Olive Schreiner

PÔSTER - XVIII Encontro ABRALIC

Maria Lua Araújo Albus

ORIENTAÇÃO: José Carlos Felix

RESUMOS: Este trabalho, fruto de um projeto de iniciação científica, busca analisar o romance The Story of an African Farm, publicado em 1883 pela escritora sul-africana Olive Schreiner, sob a perspectiva do animismo narrativo como estratégia experimental e anti-imperialista. Investigamos como o agente narrador usa múltiplos focalizadores não-humanos, permitindo-lhes apresentação de pensamento, gesto indicativo da experimentação narrativa e do anti-imperialismo de Schreiner ao atribuir complexidade à natureza vitimada pela ganância colonial na África do Sul. Para tal, nos baseamos nos estudos narratológicos de Bal (2021) e estilísticos de Leech e Short (2017), além da teoria de animismo de Garuba (2003), e do estudo do anti-imperialismo em Schreiner de Ong (2017). Em termos estruturais, o romance se utiliza da alternância de focalizações tanto para elidir elementos humanos e naturais, quanto para afirmar a soberania do tempo da natureza sobre o do império, efetivamente buscando transpor à forma narrativa a complexidade do mundo natural.

PALAVRAS-CHAVE: Olive Schreiner. Animismo. Modernismo sul-africano

REFERÊNCIAS: BAL, M. Narratologia: introdução à teoria da narrativa. Tradução de Elizamari Rodrigues Becker, et. al. Florianópolis: Editora da UFSC, 2021. GARUBA, H. Explorations in Animist Materialism: Notes on Reading/Writing African Literature, Culture, and Society. Durham: Public Culture, v. 15, n. 2, p. 261-285, 2003. LEECH, G.; SHORT, M. Style in Fiction: A Linguistic Introduction to English Fictional Prose, 2. ed., Harlow: Pearson Longman, 2007. ONG, J. M. Olive Schreiner and African Modernism: Allegory, Empire and Postcolonial Writing. Nova York: Routledge: 2017. SCHREINER, O. The Story of an African Farm. Londres: Chapman & Hall, 1883. Disponível em https://www.gutenberg.org/files/1441/1441-h/1441-h.htm. Acesso em 29 abr. 2022.