Pedro de Castro de Canto e Melo, pequeno naturalista

PÔSTER - XVII Congresso Internacional ABRALIC

Joanna Silveira Corrêa

ORIENTAÇÃO: Leonardo Pinto Mendes

RESUMOS: O título desta comunicação é "Pedro de Castro de Canto e Melo, pequeno naturalista", remetendo à expressão criada em 1883 pelo crítico francês Ferdinand Brunetière para se referir a escritores naturalistas menos conhecidos do que Zola e os irmãos Goncourt. Essa expressão buscava atribuir a esses escritores um local subalterno; entretanto, neste trabalho o objetivo é utilizar dessa expressão como uma crítica a essas posições inferiores, buscando o porquê de esse e de outros escritores terem sido esquecidos. Esta pesquisa vem sendo realizada e aprofundada nos últimos dois anos, por meio de resultados encontrados e analisados a partir das fontes primárias, disponíveis online na Hemeroteca Digital Brasileira, da Fundação da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Os resultados encontrados na Hemeroteca são de que o escritor Canto e Melo foi admitido na Faculdade de Direito de São Paulo (UNESP) e, durante sua graduação, participou da fundação do jornal Diário Popular, agora extinto, exercendo a função de crítico literário e poeta. Até o momento atual da pesquisa, é possível identificar que Canto e Melo atuou como redator parcial do Diário do Commercio de São Paulo e adquiriu também a função de auxiliar de redação no Diário Oficial do Estado de São Paulo. Além dessas atividades, o autor publicou quatro romances e um poemeto. Esses são: Alma em delírio, 1912; Mana Silvéria, 1913; Bucólica, 1914; Relíquias da Memória, 1920 e Recordações, 1923. A figura de Canto e Melo revela como a literatura brasileira do final do século XIX permanece desconhecida. O escritor gaúcho que fez fama em São Paulo é um exemplo de escritores profissionais que atuavam na literatura e na imprensa, e cujas obras apareciam num mercado literário diversificado. Pesquisar Canto e Melo e outros escritores esquecidos desse período enriquece os estudos literários atuais, resgatando, nas fontes primárias, histórias ainda não contadas.

PALAVRAS-CHAVE: século XIX; literatura brasileira; Naturalismo; Pedro de Castro Canto e Melo.

REFERÊNCIAS: BECKER, Colette; DUFIEF, Anne-Simone (orgs.). Relecture des “petits” naturalistes. Actes du colloque des 9, 10 & 11 décembre 1999. Paris: Université Paris X, Centre de Recherches Interdisciplinaires sur les Textes Modernes, 2000.