A linguagem poética de Ono no Komachi

PÔSTER - XVII Congresso Internacional ABRALIC

Gabrielle Miguelez da Silva

ORIENTAÇÃO: Andrei dos Santos Cunha

RESUMOS: Funcionando como espelho para as especulações e lendas de casos amorosos que circundam sua imagem e sua presença na corte japonesa da era Heian, a poesia de Ono no Komachi (825? - 900?) é notável por sua subjetividade e domínio da linguagem poética da Antiguidade japonesa. Neste trabalho, debruço-me sobre seu repertório poético presente na antologia Kokin’wakashû (publicada no início do século X), levando em consideração a relevância cultural e social, bem como as normas e convenções que caracterizam a poesia da corte japonesa (MINER, 1968). Busco, então, nos manuscritos de Émile Benveniste sobre a poética de Baudelaire, compilados no chamado Dossiê Baudelaire (LAPLANTINE, 2008), uma tentativa de reconhecer, na poesia de Ono no Komachi, as características que compõem a natureza da sua linguagem poética. Para Benveniste, os perfumes, as cores e os sons de Baudelaire se correspondem (VIER, 2018). Para Ki no Tsurayuki, um dos compiladores do Kokin’wakashû, as palavras poéticas germinam do coração humano (CUNHA, 2020). Penso que nesse intermédio encontra-se a poesia de Ono no Komachi – seus sonhos, chamas e cores desbotadas correspondendo-se com a indissociabilidade entre a natureza e os sentimentos humanos.

PALAVRAS-CHAVE: Ono no Komachi; poesia; literatura japonesa; Kokin’wakashû.

REFERÊNCIAS: BENVENISTE, É. Semiologia da língua. Problemas de Linguística Geral II. Tradução: Eduardo Guimarães et al. 1.ed. Campinas: Pontes, p. 43–67, 1989. ______. Baudelaire. Présentation et transcription de Chloé Laplantine. Limoges: Lambert-Lucas, 2011. CUNHA, A. Poemas do Japão antigo: seleções do Kokin’wakashû. Porto Alegre: Bestiário/Class, 2020. MINER, E. An Introduction to Japanese Court Poetry. With translations by the author and Robert H. Brower. Stanford: Stanford University Press, 1968. OZAWA, M (org.). Kokinwakashû. Nihon koten bungaku zenshû. 24. Ed. V.7. Tokyo: Shôgakukan, 1992 [1971]. RODD, L. R.; HENKENIUS, M. C. Kokinshû. A Collection of Poems Ancient and Modern. Translated and annotated by Laurel Rasplica Rodd with Mary Catherine Henkenius. Nova Jersey: Princeton University Press, 1984. VIER, S. “Os perfumes, as cores e os sons se correspondem”: Benveniste e a busca pela imagem criativa em Baudelaire. Revista Desenredo, v. 14, n. 3, p. 515–540, 7 dez. 2018.