Arrebatamento e êxtase em Clarice Lispector

PÔSTER - XVII Congresso Internacional ABRALIC

Waléria Nunes

ORIENTAÇÃO: Prof. Dr. Carlos Eduardo Schmidt Capela.

RESUMOS: O presente trabalho a ser apresentado é fruto da pesquisa de iniciação científica intitulada “O irrepresentável do feminino na devastação”, em que busco estudar o conceito de devastação em psicanálise e como este se apresenta em diferentes obras de Clarice Lispector. No começo do projeto, foi realizada uma leitura atenta e minuciosa de toda obra da autora, em que foi possível perceber vivências da devastação em personagens dos romances Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres (1969) e Um sopro de vida (1978), e também do conto “Ele me bebeu”, que compõe o livro Via Crucis do Corpo (1974). Dessa forma, foi realizado um trabalho de revisão teórica do conceito de devastação nas obras de Freud e Lacan, bem como de autores contemporâneos da psicanálise. Para posteriormente, analisar comparativamente as obras selecionadas de Clarice Lispector com o recorte teórico da devastação. A devastação em psicanálise se refere a um sofrimento agudo vivenciado por homens ou mulheres comumente após um termino amoroso, mas não só, em que os sujeitos vivem experiências disruptivas com o próprio corpo e a linguagem. Em termos teóricos estritos a devastação comporta duas vertentes, uma fálica articulada à reivindicação do desejo materno e outra não-toda fálica em relação à falta de significante que determine a mulher no inconsciente. A devastação no campo do não-todo fálico se liga à experiência da perda de um corpo, momento que está ligado necessariamente ao arrebatamento ou ao êxtase. Na literatura de Clarice Lispector encontramos uma escrita desse traumático que toca o corpo: “Era isso mesmo que ela imaginara: Serjoca tinha anulado seu rosto. Mesmo os ossos – e tinha uma ossatura espetacular – mesmo os ossos tinham desaparecido. Ele está me bebendo, pensou, ele vai me destruir. E é por causa do Affonso." (Lispector, 2016, p. 558-559)

PALAVRAS-CHAVE: psicanálise; Clarice Lispector; devastação; corpo.

REFERÊNCIAS: FREUD, S. Sobre a sexualidade feminina. Belo Horizonte: Autêntica, 2020. LACAN, J. O Seminário, livro 23: O sinthoma. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007. LISPECTOR, C. Um sopro de vida. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. LISPECTOR, C. Ele me bebeu. In: LISPECTOR, C. Todos os contos. Rio de Janeiro: Rocco, 2016. LISPECTOR, C. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. Rio de Janeiro: Rocco, 2020.