A emergência indígena na literatura

PÔSTER - XVII Congresso Internacional ABRALIC

Dora de Azevedo Acioli Lutz Barbosa

ORIENTAÇÃO: Carla Miguelote

RESUMOS: A pesquisa de iniciação científica "Eliane Potiguara e Márcia Wayna Kambeba: a emergência indígena na literatura", realizada por Dora de Azevedo Acioli Lutz Barbosa na UNIRIO através da bolsa IC-UNIRIO e orientação de Carla da Silva Miguelote, estuda a escrita de Eliane Potiguara e Márcia Wayna Kambeba, duas autoras brasileiras ameríndias contemporâneas, procurando notar as suas similaridades e diferenças temático-literárias e observar o gesto político presente na passagem da mulher indígena de objeto da escrita a sujeito que escreve a própria literatura. Afinal, não estamos falando de romances indianistas, e sim, de uma literatura de autoria indígena. Nesta pesquisa, observamos como a ancestralidade, a arte e a questão da identidade indígena figuram nos poemas das autoras citadas e também apontamos os recursos estilísticos utilizados por elas na feitura de alguns de seus poemas presentes nos livros Ay kakyri tama (2018), de Márcia Kambeba, e Metade cara, metade máscara (2019), de Eliane Potiguara.

PALAVRAS-CHAVE: Eliane Potiguara; Márcia Kambeba; literatura indígena; poesia; identidade.

REFERÊNCIAS: KAMBEBA, Márcia Wayna. Ay Kakyri Tama: eu moro na cidade. 2.ed. São Paulo: Polén, 2018. POTIGUARA, Eliane. Metade cara, metade máscara. 3.ed. Rio de Janeiro : Grumin Edições, 2019.