Do saci, de Monteiro Lobato, aos sacis das histórias populares: uma viagem ao mundo do fabulário sobre essa personagem na literatura infantil

PÔSTER - XVII Congresso Internacional ABRALIC

Sâmia Regina Mourão de Sousa

ORIENTAÇÃO: Dra. Patrícia Aparecida Beraldo Romano

RESUMOS: Este trabalho buscou discutir a personagem "saci" partindo da obra O Saci Pererê: resultado de um inquérito, de Monteiro Lobato, e de três versões da obra infantil O Saci, do mesmo autor, para chegar aos recontos de literatura existentes hoje no mercado editorial. A personagem advinda do imaginário popular conquistou espaço na memória afetiva e sobrevive ainda hoje em forma de narrativa oral e de recontos que circulam no país. Partimos do texto lobatiano publicado em 1918, por Monteiro Lobato, na sequência, nos debruçamos sobre três versões da obra infantil O Saci (1921, 1927, 1947). Tal obra publicada em Obras Completas em 1947, parece ter consagrado a figura de tal personagem na literatura infantil do século XX. Praticamente um século depois da publicação da primeira edição, tanto o texto de Lobato quanto a personagem saci continuam vivos na memória popular e, hoje, o mercado editorial se apropriou dessa personagem e a encontramos nas diversas releituras e recontos que merecem ser lidos e discutidos com os discentes do Ensino Fundamental. Pensando nos mais diversos gêneros literários em que a personagem passa a atuar, procuramos fazer um levantamento de alguns dos muitos textos que habitam escolas e bibliotecas e tratam da figura do saci. Além disso, também procuramos pensar no leitor contemporâneo que se interessa por essa personagem e pensamos em avaliar algumas possíveis recepções de O Saci, de Lobato, em sites de venda desse texto, como é o caso do site da Amazon, cujos leitores postam comentários sobre o livro e sobre a leitura realizada. Nossos estudos estiveram pautados em Lajolo e Ceccantini (2008), Prado (2016), Queirós (1987), Vieira (2009), dentre outros estudiosos.

PALAVRAS-CHAVE: literatura infantil; saci; Monteiro Lobato; narrativas orais.

REFERÊNCIAS: CAMARGO, E. C. Algumas notas sobre a trajetória editorial de O Saci. In: LAJOLO, Marisa; CECCANTINI, João Luís. Monteiro Lobato livro a livro: obra infantil. São Paulo: 2008. p. 87-99. LOBATO, M. O Saci. Adaptação de Marisa Lajolo e Ilustrações de Lole.1. ed. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 1946. PRADO, A. O. M. de A. O inquérito sobre o Saci: no jornal e no livro, o trabalho de edição de Monteiro Lobato. Tese (Letras) – Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo, 2016. QUEIROZ, R. S.. Um mito bem brasileiro: estudo antropológico sobre o Saci. São Paulo: Polis,1987. TRAVASSOS, S. Entre sacis e Jecas: um LOBATO em busca da identidade nacional. In: YUNES, Eliana. Monteiro Lobato: ideias ao infinito. Rio de Janeiro: 2011. p. 234-253. VIEIRA, M. de F. O Saci da tradição local no contexto da mundialização e formalização cultural. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Universidade de São Paulo. São Paulo, 2009.