As interfaces sincréticas entre as linguagens verbal e pictórica em Judith y Holofernes e Las Parcas

PÔSTER - XVII Congresso Internacional ABRALIC

Marianna Bernartt Silva

ORIENTAÇÃO: Valdeci Batista de Melo Oliveira

RESUMOS: Neste pôster, abordamos a confluência entre a Literatura e a Pintura. Elegemos obras de Goya (1819-1823), de Ovídio (2017) e da Bíblia de Jerusalém (2002). Deste modo, analisamos as relações entre Judith y Holofernes (GOYA, 1820-1823) e o “Livro de Judite” (BÍBLIA, 2002), assim como entre Las Parcas (GOYA, 1820-1823) e o poema Metamorfoses (OVÍDIO, 2017), mediante o deslindamento dos representamens, interpretantes e objetos das narrativas, a fim de compreender as repetições e diferenças de tais topoi, no processo de produção de sentidos das linguagens verbais e plásticas. Para alcançar tal objetivo, empregamos no procedimento de cotejo os conceitos revisados por Santaella (2017), a partir de Peirce (2005), a respeito dos traços imagéticos, diagramáticos e metafóricos subsumidos no interior da iconicidade do signo. Além disso, nos apoiamos nos preceitos da Literatura Comparada, segundo as visões de Nitrini (2015), bem como nos estudos realizados sobre a poiesis e a aisthesis do grotesco, conforme Kayser (1986) e Bakhtin (2010). Constatamos que o pintor, ao figurar com uma linguagem de outra matriz, ressignificou os mitos por intermédio do emprego de uma outra realidade: a da estética grotesca, pelas vias intersemióticas. Como resultado, Goya criou novos horizontes e ampliou as possibilidades de interpretação tanto da passagem bíblica quanto do mito romano, estabelecendo uma equiparação entre o texto original e a sua releitura.

PALAVRAS-CHAVE: intersemiótica; interartes; Pinturas Negras.

REFERÊNCIAS: BAKHTIN, M. M. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento; o contexto de François Rabelais. 7. ed. São Paulo: Hucitec, 2010. 419 p. BÍBLIA. Livro de Judite. Português. In: Bíblia de Jerusalém. Nova edição, revista e ampliada. São Paulo: Paulus Editora, 2002. p. 868. GOYA, F. Judith y Holofernes. 1823. Pintura, óleo sobre reboco trasladado para tela, 146 cm x 84 cm. GOYA, F. Las Parcas. 1823. Pintura, óleo sobre reboco trasladado para tela, 127cm x 266 cm. KAYSER, W. O grotesco. 1. ed. São Paulo: Perspectiva, 1986. pág. 162 p. NITRINI, S. Literatura Comparada: História, Teoria e Crítica. 3. ed. São Paulo: Edusp, 2015. 312 p. OVÍDIO, P. Metamorfoses. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 2017. 912 p. PEIRCE, C. S. Semiótica. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. 349 p. SANTAELLA, L. Introdução à semiótica. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 2017. 80 p.