Autoria feminina e ditadura: vozes da resistência

MINICURSO

Ministrantes: Gínia Maria de Oliveira Gomes (UFRGS); Cristiane da Silva Alves (UFRGS)
Carga horária: 6h/a
Datas: 23/08 e 24/08, das 14h às 17h.

Resumo do minicurso: Até bem pouco tempo, foi tímida a presença das mulheres como autoras das histórias relacionadas à ditadura e, da mesma forma, praticamente inexistentes as produções que lhes concederam protagonismo, cuidando de destacar a sua participação como sujeitos atuantes, participantes diretas da luta e não apenas como companheiras das personagens masculinas, postas à margem dos enfrentamentos histórico-políticos. O quadro, todavia, vem se alterando nas últimas décadas. Memórias e vozes femininas têm sido empregadas com empenho e coragem na reconstrução da história, seja buscando formas de libertá-la do apagamento, seja revisitando-a e oferecendo novas perspectivas a respeito dos acontecimentos. Nesse sentido, a produção literária de autoria feminina tem sido crescente e, até certo ponto, ousada, desafiando não apenas a hegemonia masculina e o cânone, como também, o autoritarismo e a "amnésia nacional" que insistem em se manter. Levando-se em conta essas e outras questões, o curso pretende apresentar algumas faces da ditadura presentes em narrativas de autoria feminina produzidas no século XXI, enfatizando as diferentes formas de resistência que essas obras desvelam. Para apoiar as análises, recorre-se às contribuições de Eurídice Figueiredo (2017), Maria Rita Kehl (2010), Jaime Ginzburg (2010), e Jeanne Marie Gagnebin (2006), entre outras.

Referências:

FIGUEIREDO, Eurídice. A literatura como arquivo da ditadura militar brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2017.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. São Paulo: Ed. 34, 2006.

GINZBURG, Jaime. Escritas da tortura. In: TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir (Orgs.). O que resta da ditadura. São Paulo: Boitempo, 2010. p. 133-149.

KEHL, Maria Rita. Tortura e sintoma social. In: TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir (Orgs.). O que resta da ditadura. São Paulo: Boitempo, 2010. p. 123-132.

Minibiografia das ministrantes:

Gínia Maria Gomes é professora Titular de Literatura Brasileira no Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Realizou doutorado em Letras pelo PPG-Letras da UFRGS e estágio pós-doutoral pela Paris III – Sorbonne Nouvelle (2009 e 2019-2020). Organizou os seguintes livros: Vozes da resistência: ecos ditatoriais na literatura brasileira do século XXI (2021), Narrativas brasileiras contemporâneas: memórias da repressão (2020), Mobilidade e resistência na Literatura Brasileira Contemporânea (2020), Alteridades em trânsito: estética e representação na narrativa brasileira do século XXI (2018), Migração e exílio: trânsitos no romance brasileiro contemporâneo (2016), (Des)contextos da narrativa brasileira contemporânea (2017), Século XXI: perspectivas para a Literatura Brasileira (2015), Literatura Brasileira Contemporânea: geografias (2013), Narrativas contemporâneas: recortes críticos de Literatura Brasileira (2012) e Euclides da Cunha: Literatura e história (2005). Também é autora de capítulos em diversas coletâneas: Ficção e travessia: uma coletânea sobre a obra de Godofredo de Oliveira Neto (2019), Literatura brasileira & contemporaneidade: uma perspectiva transnacional (2019), João Guimarães Rosa: um exilado del linguaje común (2017), Ficção brasileira no século XXI: história, memória e identidade (2016), Momentos da ficção contemporânea (2016), Relectura de Lygia Fagundes Telles (2014), Poéticas do espaço, geografias simbólicas (2013), Escritas do eu: introspecção, memória, ficção (2013), Fêtes de la cour dans le Royame et dans l’Émpire portugais (2013). Atualmente, desenvolve o projeto de pesquisa “Os percalços da memória: migração e exílio no romance do século XXI”. 

Cristiane da Silva Alves é Licenciada, Mestre e Doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Também é graduada em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). É autora de capítulos publicados nos livros Vozes da resistência: ecos ditatoriais na literatura brasileira do século XXI (2021), Mobilidade e resistência na literatura brasileira contemporânea (2020), Narrativas brasileiras contemporâneas: memórias da repressão (2020), Poéticas e internacionalização (2020), Ilhas literárias: estudos de transárea (2018), (Des)Contextos da Narrativa Brasileira Contemporânea (2017), Século XXI: perspectivas para a literatura brasileira (2015), A Música das Esferas: Conexões entre Literatura, Mitologia e Imaginário (2014) e Machado de Assis & Guimarães Rosa – Da criação artística à interpretação literária (2008). Atualmente, é bolsista de Pós-Doutorado (PNPD-CAPES/MEC) junto ao Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com o projeto de pesquisa “Mulheres velhas: seus lugares e papéis na literatura brasileira do início do século XXI”.